1961; 1967 Elizabeth Taylor

Scorsese poderá realizar filme sobre o amor de Elizabeth Taylor com Richard Burton



Filme será baseado no livro "Furious Love" que revela a tumultuosa e vibrante história de amor dos dois actores

Martin Scorsese pode estar a planear realizar um filme sobre a história de amor de Elizabeth Taylor e Richard Burton. Segundo o Deadline, a Paramount está a negociar os direitos de adaptação do livro "Furious Love", de Sam Kashner e Nancy Schoenberger, para cinema.

Uma fonte da Paramount confirmou que o estúdio está prestes a finalizar o acordo com os autores da obra e que Scorsese é o realizador pretendido. A produção do projecto ficará a cargo de Julie Yorn, Gary Foster e Russ Krasnoff da produtora Krasnoff Foster Prods.

Elizabeth Taylor e Richard Burton começaram o seu romance nas rodagens de "Cleópatra", onde as suas personagens viviam uma tórrida história de amor, embora cada um fosse casado. Um escândalo que atraiu imediatamente a atenção da imprensa, que nunca mais os largou.

Os dois acabariam com os seus respectivos casamentos e começaram então uma relação assumida que durou 15 anos. Casaram em 1964 e divorciaram-se dez anos depois, em 1974. Mas o amor era ao mesmo tempo tão forte e conflituoso que os dois voltaram a casar em 1975 e divorciaram-se, mais uma vez, em 1976.

Juntos, Burton e Taylor apareceram em 11 filmes, entre eles "Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?", onde a actriz venceu um Óscar.

O filme terá como base o livro "Furious Love", editado no ano passado e que revela várias cartas de amor de Burton para Taylor. A Paramount chegou também a acordo com os herdeiros de Burton e com a sua viúva, Sally Hay Burton, para consultarem a biblioteca do actor.

Os estúdios estão agora em conversações com os herdeiros de Elizabeth Taylor, que morreu em Março, com o mesmo objectivo de aceder aos documentos e à biblioteca pessoal da actriz da era de ouro de Hollywood.

O Deadline destaca que Scorsese é um apaixonado da época de ouro de Hollywood e por isso é o realizador mais indicado para o projecto. O realizador está agora a terminar as rodagens do filme "Hugo Cabret", que conta no elenco com Johnny Depp, Sacha Baron Cohen e Ben Kingsley, estando também a preparar um filme sobre Frank Sinatra.

Para este novo filme ainda não são conhecidos os nomes do protagonista, embora o site avance que a Paramount quer Natalie Portman ("Cisne Negro") para o papel principal e David Seidler ("O Discurso do Rei") para argumentista. Ambos foram vencedores dos Óscares da edição deste ano.


Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor & Marilyn Monroe.

Elizabeth Taylor - Five time Academy Awards Best Actress nomination and winner of two. One for 'Butterfield 8' (1960), and for 'Who's Afraid of Virginia Woolf?' (1966). An extraordinary woman who lived life to the fullest, with great passion, humor and love.

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor, a rare photo where you can really see her Amazing Violet Eyes.

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Dúvidas sobre autenticidade de fotografia de Elizabeth Taylor nua


Esta será a única fotografia de Elizabeth Taylor nua mas as dúvidas sobre a autenticidade da fotografia têm crescido

Crescem as dúvidas sobre a autenticidade da fotografia de Elizabeth Taylor nua divulgada este fim-de-semana pelo tablóide "Daily Mail". A discussão sobre se a imagem foi montada espalhou-se pela Internet com sites e blogues a desmentir a notícia.

Segundo o "Daily Mail", a fotografia foi um presente de noivado de Elizabeth Taylor para o seu terceiro marido, o produtor Michael Todd, depois de este a ter pedido em casamento, em 1956. Na altura, a actriz com 24 anos terá aceitado posar nua para o seu amigo Roddy McDowall, actor e fotógrafo.

Contudo, o casamento teria um fim trágico. Todd faleceu num acidente de viação 13 meses após o casamento e abalada com a situação, Elizabeth Taylor terá dado a fotografia à sua assistente Penny Taylor. Mais tarde, em 1980, o retrato foi comprado pelo coleccionador Jim Shaudis, que só agora decidiu partilhar a imagem com os fãs da estrela de Hollywood.

Mas o site Capitol Hill Blue contradiz esta informação, avançando que o rosto da actriz foi sobreposto numa fotografia já existente tirada pelo fotógrafo Peter Gowland, da modelo Lee Evans. Imagem que aparece no site do fotógrafo.

Elizabeth Taylor morreu no dia 23 de Março, aos 79 anos, depois de ter sido internada por causa de graves problemas cardíacos.


Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor, photographed by Sanford Roth, 1950s Wow!! now we know where Rizzo´s got her look

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor and her mother

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor 1954

Elizabeth Taylor

'Cleopatra' (1963). Elizabeth Taylor in green.

Elizabeth Taylor by Philippe Halsman

Elizabeth Taylor as Martha in Who’s Afraid of Virginia Woolf (1966)

Elizabeth Taylor and Richard Burton

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

David Bowie - Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor and Paul Newman in ‘Cat on a Hot Tin Roof’, 1958

Elizabeth Taylor by photographer Richard Avedon (1956).

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor fotografado por Clarence Sinclair Bull em 1948.

Elizabeth Taylor in ‘Suddenly Last Summer’, 1959.

Elizabeth Taylor on the set of “Cleopatra”.

Elizabeth Taylor photographed by Frank Worth on the set of Giant, 1955

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Elizabeth Taylor

Filha dos americanos Francis Leen Taylor (1897–1968) e Sara Viola Rosemond Warmbrodt (1895–1994), a família mudou-se para os Estados Unidos em 1939. Taylor começou a carreira cinematográfica ainda criança, quando foi descoberta aos dez anos. Contratada pela Universal Pictures, filmou There's One Born Every Minute, mas não teve o contrato renovado. Revelou o talento, assim como seu amigo Mickey Rooney, ao actuar em filmes infanto-juvenis, como na estreia em 1943 num pequeno papel da série Lassie. A partir de então, apaixonou-se pela profissão e permanecer nos estúdios foi a realização de um dos seus maiores sonhos.

Evoluindo como actriz talentosa e respeitada pela crítica, nos anos 50 filmaria dramas, como Um Lugar ao Sol, com o actor Montgomery Clift; Giant, com Rock Hudson, ambos actores homossexuais e dos quais se tornou grande amiga. Nessa década faria ainda A Última Vez que Vi Paris, ao lado de Van Johnson e Donna Reed.

Vida pessoal

Liz, como foi mais conhecida, foi considerada uma das mulheres mais bonitas de todos os tempos; a marca registrada são os traços delicados de seu rosto e seus olhos de cor azul-violeta, uma cor rara, emoldurados por sobrancelhas desenhadas e espessas, de cor negra. Foi uma celebridade cercada por intenso glamour, carinho de fãs e muito luxo. O talento e beleza impressionavam qualquer pessoa, fosse da mídia ou fora dela. Foi diva eterna dos anos de ouro do cinema norte-americano.

Taylor era uma grande apreciadora de jóias, adorava o brilho de brincos, colares, anéis e pulseiras, além de amar maquiagens, sapatos de grife, bolsas da moda e vestidos caros, mas mesmo sem tudo isso, em trajes simples e sem pintura, ainda assim era considerada uma beleza rara. Os críticos da moda consideravam sua simetria de rosto e corpo ideais, ambas se encaixavam perfeitamente.

Ficou famosa também pelos numerosos casamentos, oito ao todo: o primeiro foi com Conrad Nicholson Hilton em 1950, mas durou apenas 1 ano. É mãe de Catherine Taylor.

O mais famoso casamento foi com o actor britânico Richard Burton, seu 5º marido, notório pelo alcoolismo, com quem se casou duas vezes: De 1964 a 1974; e de 1975 a 1976. Fez duplas com ele em vários filmes nos anos 60, como o antológico Cleópatra, o dramático Quem tem medo de Virgínia Woolf?, em que ganhou o segundo Óscar, Os Farsantes e A Megera Domada. Vencedora duas vezes do Óscar da Academia para Melhor Actriz, o primeiro em 1960 pelo papel da call-girl de Disque Butterfield 8. Nessa década, com o reconhecimento do prémio máximo do cinema mundial, consagrou-se como a mais bem paga actriz do mundo.

Taylor teve três filhos biológicos e um adoptivo.

Com Michael Wilding, segundo marido, com quem foi casada de 1952 a 1957, teve dois filhos: Michael Howard Taylor Wilding, nascido em 1953, e Christopher Edward Taylor Wilding, nascido em 1955.

Com Michael Todd, terceiro marido, tendo sido casada com ele por 1 ano, teve uma filha em 1957, chamada Eliza Frances Todd, mas conhecida como Liza. Elizabeth Taylor ficou viúva em 1958, tendo de criar a filha sozinha, o que a fez sofrer pela perda de seu companheiro.

Em 1959 casou-se com o melhor amigo do marido, Eddie Fisher, com quem viveu até 1964, mas envolveu-se com Richard Burton e o casamento terminou. Em 1964 casou com Burton. O casal resolveu adoptar uma menina alemã, a quem baptizaram de Maria Taylor Jenkins. O casamento com Burton era muito conturbado, cheio de brigas e ciúmes, com idas e vindas, chegando a ficar separados por mais de seis meses. Nos anos 70, ainda casada, passou a trair o marido com o embaixador iraniano nos Estados Unidos, Ardeshir Zahedi, encontrando-se com ele em quartos de luxo da cidade. Taylor, por odiar mentiras, resolveu assumir o romance com o iraniano e assim conseguiu divorciar-se de Burton, com quem já não era mais feliz, já que ele era agressivo, ciumento e bebia demais.

Vendo que o que viveu com Ardeshir Zahedi não passou de encontros sem importância, que ele não queria ter nada sério, Taylor resolveu separar-se dele. Sozinha e desiludida em encontrar um grande amor, conheceu um novo homem, John Warner, um político. Foi casada com ele de 1976 a 1982, mas houve a separação.

Os anos passaram e ela não quis casar, apenas namorar alguns homens e viver pequenas aventuras, até que conheceu Larry Fortensky. Apaixonou-se pelo camionista, e o casamento ocorreu em 1991 e foi realizado no Rancho Neverland, propriedade de seu amigo Michael Jackson. A separação ocorreu em 1996, por diferenças que classificava como irreconciliáveis. Foi o último marido, e após o término, passou a namorar alguns homens, mas sem casar outra vez.

Foi a melhor amiga do "Rei do Pop" Michael Jackson, que participou de perto e a ajudou em seus casamentos e sofrimentos. Jackson dedicou-lhe vários de seus trabalhos, inclusive a canção "Liberian Girl" e "Elizabeth, I Love You". Também era madrinha de seu primeiro filho, Prince Michael Jackson I, juntamente com o actor Macaulay Culkin.

Em 1997, a actriz passou por uma delicada cirurgia para remover um tumor do cérebro. Na juventude, Taylor também teve problemas com o vício em álcool e drogas, mas conseguiu libertar-se e prosseguir a carreira.

Foi pioneira no desenvolvimento de acções filantrópicas, levantando fundos para as campanhas contra a AIDS a partir dos anos 80, logo após a morte de Rock Hudson. A despeito de ter nascido fora dos Estados Unidos, em 2001 recebeu do presidente Bill Clinton a segunda mais importante medalha de reconhecimento a um cidadão norte-americano: a Presidential Citizens Medal, oferecida pelos seus vários trabalhos filantrópicos. Nessa época agravaram-se os problemas de saúde, ganhando peso e sendo levada a internações recorrentes em hospitais.

Problemas de saúde e morte
Taylor tratou vários problemas de saúde ao longo dos anos, incluindo as questões relativas à insuficiência cardíaca crónica. Em 2009, foi submetida a uma cirurgia para substituir uma válvula defeituosa no coração. Usava uma cadeira de rodas havia mais de cinco anos para lidar com sua dor crónica na região cardíaca.

Em fevereiro de 2011, apareceram novos sintomas relacionados à sua insuficiência cardíaca. Não aguentando a dor no peito e com muita falta de ar, foi internada no Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles para fazer uma cirurgia  de emergência, mas não resistiu, e veio  a falecer de paragem cardíaca. Taylor morreu na manhã do dia 23 de março, aos 79 anos de idade. A informação foi confirmada pelo agente da actriz e por um familiar.Encontra-se sepultada no Forest Lawn Memorial Park (Glendale), Glendale, Los Angeles, nos Estados Unidos


























































































































































































































































































































Elizabeth Taylor

Nome completo Elizabeth Rosemond Taylor

Outros nomes Dame Elizabeth Taylor

Liz Taylor

Nascimento 27 de fevereiro de 1932


Nacionalidade britânica, norte-americana

Morte 23 de março de 2011 (79 anos)

Ocupação Actriz
Actividade 19422003
Cônjuges: Conrad Hilton Jr. (1950 – 1951)
Michael Wilding (1952 – 1957)
Michael Todd (1957 – 1958)
Eddie Fisher (1959 – 1964)
Richard Burton (1964 – 1974) e (1975 – 1976)
John Warner (1976 – 1982)
Larry Fortensky (1991 – 1996)
Prémio Humanitário Jean Hersholt
1992 – Prémio Humanitário
1985 – Prémio Honorário
1997 – Premio Honorário
1972 – Hammersmith Is Out
Outros prémios
National Board of Review de Melhor Actriz

1967 – Who's Afraid of Virginia Woolf?

Conrad Hilton Jr.(6 May 1950 - 29 January 1951) (divorced)


Michael Wilding(21 February 1952 - 26 January 1957) (divorced) (2 children


Michael Todd(2 February 1957 - 22 March 1958) (his death) (1 child)


Eddie Fisher(12 May 1959 - 5 March 1964) (divorced)

Richard Burton (I) (1925–1984)
(10 October 1975 - 29 July 1976) (divorced)
(15 March 1964 - 26 June 1974) (divorced) (1 child)

Warner foi o sexto marido da actriz Elizabeth Taylor , com quem se casou antes de ser eleito para o Senado. É um veterano da Segunda Guerra Mundial e foi um dos cinco veteranos que servem no Senado no momento aposentado
(4 December 1976 - 5 November 1982) (divorced)



Larry Fortensky (1952–2016)
(6 October 1991 - 31 October 1996) (divorced)
































































































































































































































































































Hora de dizer adeus: Taylor morreu na quarta-feira de insuficiência cardíaca
Havia especulações de que ela seria enterrada ao lado de seus pais - e perto de Marilyn Monroe - em um cemitério de Los Angeles, mais localizado no Westwood Village.
Também foi sugerido que ela pudesse ser demitida no País de Gales em um túmulo pertencente à família de seu falecido marido, Richard Burton.
A família de Burton havia dito que esperavam honrar o acordo que o casal
 tinha feito duas vezes para ser enterrado num cemitério em Pontrhydyfen, perto de Port Talbot.


Último lugar de repouso:Forest Lawn Memorial Park em Glendale, Califórnia
Imagens e textos (tradução automática), colhidos da internet




Sem comentários:

Enviar um comentário